ALGUNS TRABALHOS

Sou a artesão bem eclético!
Gosto dos mais variados tipos de modelismo e já fiz muitas coisas e dos mais variados tipos!
Embora já tenha montado muitos kits industrializados sob encomenda, prefiro fazer modelos de maneira artesanal por preferir réplicas com um aspecto mais próximos do real.
As vezes me permito estilizar fazendo em latão polido mas procurando manter as dimensões exatas da escala.

O material utilizado vai do plástico ao metal valendo-me das mais diversificadas técnicas inclusive no que tange a pintura, de pincel a aerógrafo!
Muitas dessas técnicas tem origem no plastimodelismo praticado muito tempo atrás!
As técnicas não são excludentes! São na verdade complementares!

Todos os modelos em madeira, sem exceção, foram cortados em serra tradicional, nenhum modelo foi cortado a laser!
Isso indica que, a qualidade final de um modelo, depende mesmo é do talento e habilidade de quem faz e de sua bagagem de conhecimento!
O argumento de "precisão" do corte a laser e outras bobagens é na realidade conversa para inglês ver!
a realidade trata-se de um argumento para justificar a preguiça, talento limitado e falta de conhecimento!

Não há espaço para improvisos como lançar mão de peças industrializadas para adaptar ao modelo!
Aliás, essa prática  é muito comum!
Nada contra! Mas não se pode dar o mesmo valor ao dado a uma peça feita a mão! Será que estou errado?
Muitos o fazem por uma questão de comodidade ou mesmo um limitação de aptidão!

 

Saveiro da Bahia.
Modelo retrata uma típica embarcação do litoral baiano na escala de 1/30. Esse tipo de embarcação hoje quase já não existe e corre o risco mesmo de desaparecer! A partir do modelo foi possível desenvolver o kit de montagem. Sua confecção se baseou no livro o Graminho.

 

Caravela portuguesa de velas latinas.
Réplica na escala de 1/50 construída a partir de plano mandado vir do Museu de Marinha em Lisboa com a finalidade de desenvolver o kit de montagem. Esse tipo de embarcação está muito relacionada a nossa história haja vista ser uma embarcação da época do nosso descobrimento!

 

Caravela Niña.
Modelo feito foi baseado em plano de construção da Amatí, teve sua escala modificada de 1/65 para 1/50. Aparelhada com velas latinas, mostra  que o modelo reproduz o original quando estava na primeira etapa da viagem de Colombo, dessa réplica foi possível criar o kit de montagem. O modelo aí visto foi feito com peroba rosa!

 

Caravela Pinta.
Caravela na escala de 1/50, foi confeccionada a partir de pesquisa no livro da coleção Anatomia de um navio, As naves do Colombo.
Dessa réplica foi desenvolvido um kit que posteriormente veio a ser substituído em outro baseado em um plano da Amati.
O modelo mostra o barco aparelhado com velas redondas (quadradas) o que indica estar com a configuração da segunda etapa da viagem de Colombo quando esta partiu das ilhas Canárias levando 5 semanas para chegar a América.

 

Nau Santa Maria
Famosa carraca baseada em plano da Amati, teve sua escala modificada de 1/65 para 1/50 no sentido de acompanhar os dois primeiros modelos.
Muitos a chamam de caravela outros de galeão, mas o termo mais adequado seria: carraca ou nau.
 

 

Navio pirata  Black Falcon
Réplica do navio do capitão pirata Kidd na escala de 1/90 foi feita a partir de plano mandando vir de fora. Por motivos históricos e até mesmo de lógica, foi necessário fazer várias modificações.
Do modelo foi desenvolvido o kit de montagem.

 

Palma Nova.
Embarcação de pesca mista do mediterrâneo na escala de 1/30 feito por meio de plano de construção tendo sua escala sido modificada. O modelo do plano estava numa escala cujo o resultado seria uma réplica bem menor.
A partir dele foi desenvolvido um kit de montagem em uma escala menor resultando uma réplica com 42 cm de comprimento.

 

Pen Kale
Simpático barquinho de pesca feito a partir de uma revista de modelismo francesa na escala de 1/30. O objetivo seria desenvolver o kit de montagem. Mas, achei por bem cancelar o projeto. Talvez mais adiante volte a pensar no assunto!

 

Cuter do Maranhão.
Embarcação típica do Norte do e Nordeste Oriental do Brasil, cuja a réplica construí estudando o livro Embarcações da Amazônia. O modelo foi feito na escala de 1/30 sendo desenvolvido o kit de montagem. Posteriormente o kit foi retirado de linha vindo a sofrer modificações. Muito em breve voltara a ser relançado.

 

Canhoneira norte-americana: 
Modelo feito na escala de 1/30 baseado em pesquisa feita sobre o singular período da história americana mais precisamente durante o governo de Thomas Jefferson. Os EUA se envolveram em vários conflitos naquele período (1812 a 1815) vindo a entrar em guerra com a Inglaterra. Esses barcos foram criados para a defesa da costa norte-americana. O engraçado é que poucas pessoas se dão conta disso!  A partir dele foi desenvolvido o kit de montagem.

 

Sardinheiro bretão.
O modelo foi feito na escala de 1/30 baseado na técnica de
quille en l'air. No caso trata-se de uma embarcação de pesca de sardinha típica da Bretanha do princípio do século XX. Por ser uma técnica diferente de construção o kit deixou de ser comercializado.

 

Traineira Mare Nostrum
O modelo foi feito tomando como ponto de partida o kit da Artesania Latina na escala 1/35. O problema é que o kit estrangeiro peca pelo fato de ser muito enfeitado fugindo totalmente da realidade, de maneira que pode-se considerar o modelo estrangeiro um adorno ao invés de uma réplica. Muitas adaptações modificações foram necessárias.

 

Caravela portuguesa redonda.
O modelo foi feito na escala de 1/50 a partir de plano de construção adquirido do Museu de Marinha em Lisboa Portugal.
Essa classe de embarcação foi a que efetivamente fez parte da esquadra de Cabral quando a caminho do oriente aportou no Brasil para tomar posse do novo território descoberto. Posteriormente, embarcações da mesma classe juntamente com naus patrulharam a costa do Brasil a caça de contrabandistas de Pau Brasil.

 

 

Galeão Nuestra Señora de Atocha.
s de Pau Brasil.

 

 

 

Itacuruça: o modelo está na escala de 1/40 e foi encomendado como elemento de composição de cenário para o filme da Xuxa
O segredo da Feiurinha! A idéia era colocá-lo dentro de uma garrafa!
Mas o pessoal do estúdio que encomendou, achou por bem recebê-lo sem pintura! Para tanto forneceram imagens da embarcação e também suas medidas.

 

Telegrafo de ponte: quem assistiu o filme Titanic deve lembrar!
Após ver o filme resolvi fazer a réplica dessa peça do famoso navio. Foi necessário muita pesquisa. A ponto de observar minuciosamente as inúmeras fotos da peça original retirada do navio afundado. Também foi necessário achar desenhos do original! Contrariamente do que muitos imaginam, a peça é feita de vários componentes. Muitos deles feitos a mão com lima, serra de ourives, alicates e muita lixa d'água.

 

Coche século XIX: o modelo reproduz  um coche norte-americano do final do século XIX. Esse veículo era como um "segundo carro" de muitas famílias residentes no velho oeste! O banco de trás podia ser retirado para dar espaço para bagagens! Na escala de 1/12 ficou com 36 cm de comprimento. Todos os componentes móveis funcionavam como no original. O material utilizado: madeira imbuia e latão! Feito artesanalmente.

 

Canhão naval 4 libras: a réplica desse canhão foi feita a partir de dados encontrados no plano de construção ao construir a fragata Aurore sob encomenda! Infelizmente, na época não me ocorreu tirar fotos do modelo!
Fora o cilindro do canhão, o resto foi tudo feito a mão em madeira e latão.
O modelo está na escala de 1/12 ficando com um comprimento de aproximadamente 26 cm.

 

Canhão napoleônico 9 libras: nesse período eram utilizadas basicamente dois tipos de carretas. Uma tinha a parte central composta de uma única peça. A segunda era formada por dois painéis paralelos. A segunda possivelmente era uma configuração mais antiga. Pode-se afirmar isso porque esse tipo de estrutura é encontrada em canhões de período imediatamente anterior.
A réplica, na escala de 1/12 feito a mão em madeira e latão, ficou com um comprimento de 36 cm aproximadamente.

 

Posto de combate canhão 4 libras: pequena seção do deck principal de  uma fragata na escala de 1/12. Tem como objetivo demonstrar a maneira com a qual os canhões eram posicionados, sua amarração. Construída em madeira e latão de maneira totalmente artesanal em madeira e latão.
Todo o conjunto tem aproximadamente 32 cm de comprimento x 12 cm de largura..

 

Canhão Parrot 10 libras:  réplica na escala de 1/16 de peça de artilharia da Guerra de Secessão que ocorreu nos Estados Unidos da América do Norte já no final do século XIX entre o Norte  e o Sul. O canhão Parrot foi largamente utilizado pelo Exército do Norte. O seu nome advém do seu idealizador. A réplica foi feita de peças fundidas em liga metálica. Para isso, foi necessário fazer cada original a mão em latão! As ferramentas as de sempre: limas, vários tipos de alicates, serras de ourives e outras tantas ferramentas necessárias. Depois é que foram feitos moldes em silicone para fundir a peça a ser utilizada. Carreta e rodas em madeira, canhão fundido em liga metálica de estanho e chumbo.

 

Canhão napoleônico de 12 libras - Guerra de Secessão
O canhão recebe o nome de napoleônico mais por uma questão de tradição.
O modelo reproduz na escala de 1/12 uma peça de 12 libras daquela malfadada guerra fratricida!  A carreta feita de uma única peça, segue na verdade o padrão adotado pelo exército inglês.
O modelo foi confeccionado totalmente a mão, sendo o cilindro usinado com lima e lixa d' água.
Todos os componentes móveis funcionam! O modelo ficou com um comprimento em torno de 32 cm.