BARCOS EM GARRAFAS - II


Vamos começar nossa aula falando dos tipos de modelos que normalmente são "engarrafados!
Muitos acham que os modelos são construídos dentro das garrafas! Mas não é bem assim!
Os veleiros, por exemplo, têm o seus cascos praticamente feitos fora da garrafas e posteriormente introduzidos nas garrafas com suas velas e mastros abaixados para em seguida serem levantados dentro dela.

O porque disso me parece ser em virtude da altura dos mastros serem quase sempre no mínimo o tamanho do casco.

Essa relação força a fazer um casco relativamente pequeno. Como o modelo é em escala, torna-se imperioso  manter a relação dos mastros versos tamanho do casco. Por conseqüência, quanto menor o casco menor será a largura e a altura.

Outro pormenor é que deve-se decidir no momento em que estiver fazendo o planejamento de seu modelo, é determinar onde o barco ficará apoiado dentro da garrafa. Isso nos leva a mais duas possibilidades pelo menos:

O barco poderá ficar sobre uma peanha, ou uma outra base.

 

O barcos poderá também ficar "navegando" em mar aberto.

O mar poderá ser feito com gesso ou massa plástica.
Mas voltemos aos tipos de modelos!
Como dito anteriormente, na maioria das vezes o modelo de veleiros entram diretamente pelo gargalo da garrafa.

O modelo é confeccionado do lado de fora normalmente de maneira que o seu casco tenha sua largura e altura suficientes a passarem pelo gargalo da garrafa

 

 

O segredo para fazê-lo entrar na garrafa é confeccionar os mastros escamoteáveis.
Para introduzir o modelo basta abaixá-los
e introduzir o barco.

 

 

Cada mastro deverá ter uma linha presa à sua extremidade e com o comprimento suficiente a ter sua outra extremidade fora da garrafa.

 

 

Fixado o barco na base dentro da garrafa, puxa-se cada um dos mastros por meio de sua linha, colando cada um deles.
Em seguida as linhas são cortadas.

Simples não?

Barcos sem velas.

Normalmente são barcos contemporâneos. A maneira de construir o casco é bem diferente.
Livres da relação mastros x comprimento do casco aqui o casco poderá ser maior. Assim sendo, a altura do casco e largura ficarão com tamanhos que impossibilitam a passagem do modelo pelo gargalo.

A forma mais razoável de solver o problema é fazê-lo em blocos. A exemplo dos veleiros a sua confecção se processará fora da garrafa.

Existem mil e uma formas de se fazer e aqui passarei uma apenas. Com criatividade você poderá desenvolver a sua própria técnica.

Definida a escala e por conseqüência o tamanho do barcos, faça quatro barrotes iguais e cole-os entre si com cola branca. Desse bloco é que surgirá o casco de seu modelo.
Lembre-se que o tamanho será determinado levando-se em consideração os mastros. Embora não tenham a mesma proporção dos barcos a vela, eles devem ser levados em conta também.
Observe que a junção dos dois pares de blocos formam a linha de meia nau

 

Seria muito interessante e ajudaria muito se você fizesse um desenho de perfil e outro de cima e colasse no bloco.

Mas a viabilidade disso vai depender da escala e tamanho de seu modelo.

 

Com pequenos formões, lâminas lixa e pequenas lixas você esculpi  o modelo.

Você verá logo que o modelo não passará pelo gargalo. Vem então a solução mágica!
Coloque o modelo dentro de um recipiente com água quente e desmanche o bloco. Por esse motivo foi que avisamos para utilizar a cola branca.

Depois de um certo tempo o bloco será desfeito e você terá o casco dividido em quatro seções.

Nesse momento você dará o acabamento e pintará o casco em sua parte externa.

 

 

Agora monte o modelo dentro da garrafa colando novamente as partes.

Eduardo Dias Nunes